Mamãe Ibiza: Mary Olivetti

PRA DESTACAR ·

Toda mãe é especial! O clichê mais verdadeiro que existe. Mas quando a mãe é aquela mãezona que abraçou cada etapa da maternidade, ainda é diretora geral de uma empresa e no meio disso tudo arranja força e amor para ser DJ e tocar por todo o Brasil, dá aquele orgulho e inspira, né?

A mamãe Ibiza desse ano é a nossa Mary Olivetti, que com todo o apoio do maridão Andrea e da sua mãe Claudia, cria o bambino Luca, que está apenas com nove meses, com todo o amor do mundo.

Leia abaixo a entrevista que fizemos com ela, para saber como é se tornar essa mãe contemporânea que tem prazer em fazer tudo (muito bem), ao mesmo tempo.

IMG_9014 2

Radio Ibiza: O que mudou na sua vida depois de se tornar mãe?

Mary: Sempre ouvi dizer: “muda tudo”. Será que muda tudo? Os valores mudam sim, o olhar para o futuro, o juízo, o significado de família, o lema “menos pra mim, mais pra ele”, o músculo do braço, e uma coisa importantíssima: os horários. O resto continua tudo igual.

Radio Ibiza: Quais são os maiores desafios de criar um filho, conciliar com o trabalho na empresa e o de DJ?

Mary: Eu escuto muito a minha mãe. Ela nos criou sem conciliar trabalho conosco, por isso dona Claudia é daquelas que não compreende que os tempos mudaram e a gente precisa trabalhar firme. Ela diariamente me relembra o quanto minha presença é importante pra infância e vida do meu filho, e eu só tenho a agradecer. Confesso que fico dividida, mas trabalhar me completa. Porém, minha conclusão é firme: sempre serei uma mãe melhor do que uma profissional. O segredo tá na equipe: uma babá maravilhosa, um marido extremamente companheiro e uma mãe que apoia — assim tudo fica mais leve e a gente vai, trabalha, vai, toca, e quando volta, encontra aquele abraço de macaquinho e aquele brilho no olhar. Agora é só ele!

Radio Ibiza:  Em algum momento você pensou em desistir de alguma carreira em função do Luca?

Mary: Sim, a de DJ. Antes de tê-lo, digo dois ou três anos antes, sempre tive uma visão um pouco careta da maternidade. Achava que quando eu engravidasse teria que parar de tocar pra cuidar da cria. Também pensava que seria estranho colocar meu filho pra dormir, passar uma maquiagem e sair pra tocar. O tempo passa e você vê que aquele pensamento que durou tanto foi uma besteira gigante, um preconceito até, e tudo volta a ser como antes. Tocar faz parte de mim e sem fazê-lo, não serei feliz.

Radio Ibiza: Qual o conselho que você daria para uma mulher grávida que está pensando em parar de trabalhar? 

Mary: Não se iluda, você vai querer voltar! O trabalho engrandece a mulher. Se parar, terá dificuldade pra voltar. Dê um tempinho, um ano quem sabe, e repense isso aí!

Radio Ibiza: Você tem uma relação com a música desde berço. Como você fez para transmitir essa paixão para o Luca? 

Mary: Luca ouve musiquinhas muito lindas. Por incrível que pareça, não fui do tipo que colocava radinho na barriga e nem música clássica no berço. Quando ele nasceu, descobri que música era uma arma secreta pra tranquiliza-lo. Sei da importância que a música tem em minha vida, e acredito que muito da minha personalidade se deu ao fato de eu ter recebido música quando criança. Quero criar um filho sensível, gentil, amoroso e alegre. A música na educação e no dia-a-dia é um start pra isso, e o contato com a natureza também.

Radio Ibiza: O que vocês escutam juntos? 

Mary: Quando ele chegou em casa, eu colocava coisas como “As Abelhas” do Moraes Moreira e “O Pato” do João Gilberto. Era nítida a mudança de humor, parava de chorar e dormia fácil. Ele foi crescendo e enquanto eu trabalhava nos meus sets de música eletrônica, fui percebendo que ele (pasmem!) se acalmava com os beats frequenciados quase como uma sessão de hipnose, então fui aumentando a dose. Hoje em dia ele ouve de tudo, já tem uma coleção de mais de mil discos de R&B, tá no nível intermediário de baixo e violão e vai lançar um disco em 2018. Brincadeira! Quero que ele seja piloto de avião.

IMG_2521

Radio Ibiza: Sempre falam que depois de ter filho, nós compreendemos melhor as nossas mães. Aconteceu com você isso? 

Mary: Acho que não rolou isso comigo. Eu sempre compreendi minha mãe <3

Radio Ibiza: O que o Luca te ensinou nesse tempo?

Mary: Mil coisas. Além dessas mil coisas, Luca me ensinou a ter mais calma e respeito com meu corpo e minha saúde. Me mostrou como somos uma máquina perfeita e nem nos damos conta disso. Gerar uma pessoa só pode ser divino mesmo.

 

carregando