[Entrevista] Não deixe de ouvir a cantora e compositora Ivy Morais

PRA DESTACAR ·

Sabe aquela voz que encanta na primeira nota? Foi assim que nos sentimos ao ouvir o disco “Na Ponta do Remo” da cantora e compositora Ivy Morais.

Apelidada de ‘Iemanjá Mineira’, a cantora vive há 10 anos no Rio de Janeiro e é cria das rodas de samba e do lendário boteco musical Bip Bip – além de uma carreira extensa no meio da música. Dedicou os últimos anos aos bastidores no papel de produtora cultural, inclusive do artista Lenine, que gravou com ela em seu disco a faixa “Canto de Esperança”.

Recentemente, Ivy se dedicou à sua carreira de cantora com seu primeiro álbum autoral transmitindo uma experiência vibrante ao público a cada espetáculo.

Além da carreira solo, é cantora do projeto sociocultural Musicalidade e de grupos de samba e MPB e desenvolve o projeto “Caminho das Águas”, que teve a sua primeira edição em outubro/2018, com participações de Charles Theone, Simone Lial, Breno Hirata, DJ MAM e representantes da dança do Rio Maracatu e Tambores de Olokum.

Ivy foi vencedora do concurso nacional “Novos Talentos da Música” do SESI/FIRJAN e prepara-se para gravar o seu primeiro vídeo clipe a ser lançado em 2019. Foi também selecionada pelo programa ASA, do Oi Futuro, para a criação de artes junto a outras 49 mulheres sonoras – onde nós, da Radio Ibiza, a conhecemos.

Vem dar uma olhada na entrevista que fizemos com Ivy e conhecer mais um pouquinho sobre a sua história:

Radio Ibiza: Conte um pouquinho sobre a sua carreira na música.

Ivy Morais: Sempre amei música e poesia, tanto é que me tornei produtora cultural, e ter trabalhado com grandes artistas e festivais, me trouxe uma grande bagagem para a carreira que escolho seguir… Mas foi perambulando pelo Rio que comecei a compor e a cantar, integrando grupos de samba e música popular, até criar o fôlego para gravar o meu disco autoral e hoje me lançar de vez na carreira. E os desafios musicais estão apenas começando… Vou gravar agora um clipe com a inédita “Força de dentro”, através de uma seleção nacional de novos talentos, sigo criando parcerias com músicos de vários cantos do Brasil e desenvolvo o projeto “Caminho das Águas”.

Radio Ibiza: Fale de um momento marcante para você em sua carreira.

Ivy Morais: Difícil escolher! Foco então no agora, que pela primeira vez me dedico à carreira artística como prioridade. Essa virada de chave é um processo que exige muita determinação e coragem, além de uma nova rotina. Outros grandes momentos: gravar e lançar o disco – que teve a participação do Lenine -, cantar na minha cidade em um show com roupagem de jazz, cantar em outros estados, passar em 3 editais seguidos no fim de 2018, receber um e-mail do Aldir Blanc (rs!), fazer a primeira edição de “Caminho das Águas” com sucesso, ah, tem muita coisa linda no caminho…

Radio Ibiza: Quais são suas inspirações e referências?

Ivy Morais: Os clássicos, Chico, Gonzaguinha, Paulinho da Viola, D. Ivone, Dominguinhos… nos últimos anos, os compositores da Bahia vêm pulsando forte, Roque Ferreira, Gil, Roberto Mendes, Gerônimo… Não posso deixar de citar Clara e Elis, como musas cantantes.

Radio Ibiza: Qual foi a sua inspiração para o álbum “Na Ponta do Remo”?

Ivy Morais: Vale O MAR? Ainda que nascida em um estado sem litoral, essa conexão sempre existiu na paisagem da minha poesia. Está presente em grande parte das canções e na estética visual do disco, o que me rendeu o apelido de “Iemanjá Mineira”.

Radio Ibiza: Qual/is música/s você acha que mais te representa?

Ivy Morais: Falando em letra, penso em “Canto de Esperança”, por falar dessa longa estrada encantada e da conexão com a natureza, que vai de encontro com a “Força de dentro”, a ser lançada com clipe em março. Elas trazem os timbres nordestinos e a atmosfera de desafios. No astral musical, me representam a “Só pra te olhar”, que tá no disco, e a novíssima “Preamar”, que será lançada em maio, pois trazem o samba de roda, o ijexá e aquele axé da Bahia!

Radio Ibiza: Quais são os planos para 2019?

Ivy Morais: Amplificar a projeção artística no Brasil e plantar sementinhas para o mundão, lançar um EP e dois clipes, conquistar parceiros para levar o “Caminho das Águas”, em suas diversas formas, para espaços públicos, festivais e teatros de todo país! Vamos nessa?

carregando