Como a música funciona no nosso cérebro

PRA DESTACAR ·

A música é uma das ferramentas sensoriais mais fáceis e eficazes para conectar empresa e mercado consumidor.

Ela mexe diretamente com a emoção, atitude, sentimento e a energia do comprador. Mas não só a do comprador: ela afeta a vida fora o consumo.

O efeito da música sobre as pessoas parou de ser assunto de músico, poetas e filósofos e começou a entrar em discussões neurológicas.

Ao ouvir uma melodia musical, nosso cérebro inteiro se ilumina.

Exames de ressonância magnética permitem gerar filmes que mostram como os neurônios disparam e iluminam cada área do nosso cérebro.

Você já começou a chorar enquanto ouvia uma música triste ou já ficou mexendo a cabeça com uma melodia feliz?

A música desperta a emoção do núcleo accumbens, é uma parte da via de recompensa, gerando prazer, impulsividade e comportamento maternal. O nucleus accumbens opera em dois neurotransmissores: a dopamina, que ajuda a regular as respostas emocionais, e a serotonina, que pode afetar o humor e o comportamento social.

É por isso que as músicas podem instantaneamente capturar nossas emoções e nos transportar de volta a um certo tempo e lugar.

O sangue sobe e desce com as ondas da música em áreas do cérebro associadas com recompensa, emoção e excitação.

Além disso, a música ativa o córtex motor, a parte do cérebro que controla os movimentos voluntários. Então, se você estiver se movendo ao ritmo de uma música, pode agradecer ao seu córtex motor.

É por isso que ouvir uma música em particular pode te transportar para algum momento ou lembrança.

carregando